Caçador de rinocerontes é morto por elefante e comido por leões na África
loading...

Caçador de rinocerontes é morto por elefante e comido por leões na África

5 patinhos foram passear (…), mas apenas 4 patinhos voltaram de lá. Este trecho da conhecida música infantil resume bem a história. Na semana passada, cinco caçadores foram capturar rinocerontes no Parque Nacional Kruger, na África do Sul; mas um deles não saiu de lá vivo.

Segundo funcionários, ele foi morto por um elefante e comido por um grupo de leões. Glenn Phillips, chefe-executivo do parque, diz que “entrar no Kruger National Park ilegalmente e a pé não é sábio, tem muitos perigos e este incidente é prova disso”. A morte será investigada e os quatro sobreviventes foram presos e serão julgados, pois a caça no local é ilegal; dois fuzis e suas munições foram apreendidos, já que não possuíam licença.

A caça do animal é feita apenas para a obtenção de seu chifre, que vale muito no mercado asiático — mais que diamante. O comércio internacional é banido desde a década de 1970, mas no final de 2018, em um enorme regresso, a China o reautorizou, em seu mercado interno, após 25 anos de proibição. É utilizado de forma medicinal e afrodisíaca, apesar de nenhuma evidência científica. Alguns parques retiram os chifres dos animais para tentar evitar a caça.

O caçador de rinocerontes foi comido por um grupo de leões após ser pisoteado por um elefante e provavelmente sofreu lentamente em agonia, antes de morrer.

Outros caçadores afirmaram à família da vítima que ele havia sido morto por um elefante na terça-feira (2). Os parentes, então, notificaram a guarda florestal.

Autoridades conduziram uma busca e descobriram um crânio humano e um par de calças dois dias depois, na quinta-feira (4)

De acordo com a instituição Save The Rhino, 80% dos rinocerontes do mundo estão na África do Sul, que também é o país onde a caça é mais praticada.

Entre 2007 e 2014, houve um aumento de 9.000% na caça do animal. Mas os números parecem estar se tornando um pouco otimistas: de 1028 rinocerontes caçados em 2017, o número caiu para 769 em 2018. Não se sabe, no entanto, se a queda se deve a resultados dos trabalhos anti-caça ilegal ou se o que ocorreu é uma grande queda no número de rinocerontes em seu habitat. O Parque Nacional Kruger sofre com caçadores ilegais. Eles matam rinocerontes para vender seus chifres em países asiáticos, onde se acredita que tenham propriedades medicinais.

A população de rinocerontes-brancos do sul continua a crescer, mas por pouco. A espécie corre perigo.

No sábado (6), as autoridades aeroportuárias de Hong Kong, na China, apreenderam o maior chifre de rinoceronte dos últimos cinco anos, avaliado em US$ 2,1 milhões (R$ 8,14 milhões).​  Embora a ciência nunca tenha encontrado nenhuma evidência do benefício do uso dos chifres, o valor pago pelo item é muito alto: em agosto do ano passado, a polícia da Malásia encontrou 50 chifres transportados de maneira clandestina que teriam como destino o Vietnã — a carga foi avaliada em quase R$ 50 milhões.

Veja Também:

Caçador cai de helicóptero enquanto atirava em cervos assustados (vídeo)

Você também deve apreciar:

Um comentário
  1. Anderson

    Glória DEUS por dar cabo de uma pessoa tão ruim

    Se ficasse em casa com sua família nenhum mal aconteceria, mas como foi atrás de fazer maldade, achou a sua própria

    DEUS é bom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *