Conheça o caso raro da mulher que estava grávida quando engravidou pela segunda vez
loading...

Conheça o caso raro da mulher que estava grávida quando engravidou pela segunda vez

Um caso extremamente raro de uma mulher engravidar enquanto já estava grávida ocorreu nos EUA, com uma mãe involuntariamente dando à luz “gêmeos” que não foram concebidos ao mesmo tempo.

De modo ainda mais bizarro, quatro pais distintos estavam envolvidos na produção de seus dois bebês. Jessica Allen, a mãe, carregava um bebê para um casal chinês quando ficou gravida por uma segunda vez por meio de seu próprio parceiro.

Allen já era mãe de dois meninos quando fez um acordo para ter uma criança para um casal chinês, que queriam se tornar pais.

Em troca de um pagamento de US $ 30.000, Allen recebeu tratamento de FIV e foi implantado com sucesso com um dos embriões do casal. O pagamento ajudaria Allen e seu parceiro (agora marido) Wardell Jasper a comprarem uma casa, mas o dinheiro não era o único incentivo.

“Nenhuma mulher no mundo deveria ter que viver sua vida sem experimentar o amor e o vínculo de uma mãe e uma criança”, disse Allen à ABC News.

Allen, seu parceiro e dois filhos.

A gravidez prosseguiu suavemente até que na sexta semana, durante um exame de rotina, os médicos notaram que ela na verdade estava carregando dois bebês, não um.

Na época, todos acharam que os dois bebês eram gêmeos idênticos – como resultado da separação de embriões do casal chinês – sem ninguém considerando uma explicação muito menos provável chamada superfetação.

Superfetação é um fenômeno extremamente raro em seres humanos, onde uma mulher grávida continua a ovular depois de engravidar, e assim é capaz de conceber um segundo filho, que se gesta simultaneamente ao lado do primeiro feto.

Embora seja raro em seres humanos – foram relatados somente 10 ou mais vezes na literatura médica – é um evento mais comum no reino animal, e tem sido observado em roedores, coelhos, cavalos, ovelhas e cangurus.

No caso de Allen e seu parceiro, apesar de usarem preservativos durante a gravidez substituta, eles acidentalmente conseguiram conceber um segundo filho.

Após o nascimento, através de cesárea, Allen não conseguiu encontrar com seu filho pessoalmente.

Foto de Malachi, o filho genético de Allen.

“Eu percebi que um era muito mais claro do que o outro”, disse Allen à ABC News. “Sabe-se, obviamente que eles não eram gêmeos idênticos”.

Semanas depois, enquanto a mãe ainda estava se recuperando, um teste de DNA confirmou que um dos bebês era uma combinação genética do casal chinês, mas a outra criança tinha os genes de Allen e Jasper.

Depois de uma batalha legal com a agência que organizou a sub-rogação – que exigia taxas para entregar o bebê para seus pais genéticos – Allen e Jasper finalmente se encontraram com seu filho, Malachi, que tinha quase três meses de idade.

Embora os casos de superfetação em seres humanos sejam incrivelmente raros, este caso foi ainda mais, porque, em última análise, envolveu dois conjuntos genéticos de pais diferentes.

Em suma, foi um evento médico incrivelmente improvável que causou uma grande surpresa e dores de cabeça ​​– mas que, felizmente, teve um final feliz para Malachi, que com 10 meses vive com seus pais, apesar da incrível jornada que levou para chegar em casa.

[Science Alert]

Você também deve apreciar:

Mostrar
Hide Buttons