NASA encontra sistema de "estrelas vizinhas" mais rápido do Universo
loading...

NASA encontra sistema de “estrelas vizinhas” mais rápido do Universo

Um equipamento do tamanho de uma máquina de lavar registrou um recorde dentro do Universo conhecido pela humanidade. O NICER (sigla em inglês para “Explorador da Composição Interior de Estrelas de Nêutron), que funciona acoplado à Estação Espacial Internacional, encontrou duas estrelas que giram em torno de si a cada 38 minutos.

A J17062 é a principal delas. Extremamente densa e de rápida rotação, vive em uma constante dança cósmica com o que os astrônomos acreditam ser uma anã branca pobre em hidrogênio, separadas por 300 mil quilômetros.

É menos que a distância entre o Sol e a Lua. “Não é possível para uma estrela rica em hidrogênio, como o nosso Sol, ser a companheira do pulsar”, disse Tod Strohmayer, astrofísico da Goddard e principal autor do artigo. “Você não pode encaixar uma estrela como essa em uma órbita tão pequena.”

Quando uma estrela morre, deixando de produzir reações químicas e explodindo em uma supernova, dependendo de sua massa, ela entra em colapso e forma um buraco negro ou uma estrela de nêutrons, que é pequena e superdensa — cerca do tamanho de uma cidade, mas contendo mais massa do que o Sol. Um pulsar é uma estrela de nêutrons que gira rapidamente. É o caso da J17062 .

Por ter um intenso campo gravitacional, a estrela de nêutrons vai sugando material de sua companheira, no caso a anã branca. Essa matéria é coletada em uma espécie de disco e, conforme gira, espirala para baixo e toca a superfície. Essa viaja ao longo do campo magnético até os pólos, onde cria pontos quentes. O calor é tanto que a luz irradiada entra na porção dos raios-X do espectro eletromagnético.

 (Foto: NASA)

Enquanto giram, os pontos quentes entram e saem da vista dos instrumentos de raios X, como o NICER, que registram as flutuações. Alguns pulsares giram mais de 42 mil vezes por minutos, comparáveis ​​às lâminas de um liquidificador de cozinha.

A J17062 gira 9.8 mil vezes por minuto. Esses pulsos de raio-X são tão constantes, que, com base nos dados coletados pelo NICER, a NASA desenvolveu o SEXTANT, uma espécie de GPS interestelar.

Com o tempo, o material da estrela doadora se acumula na superfície da estrela de nêutrons. Uma vez que a pressão dessa camada se acumula até o ponto em que seus átomos se fundem, ocorre uma reação termonuclear descontrolada, liberando a energia equivalente a 100 bombas de 15 megatons que explodem sobre cada centímetro quadrado, explicou Strohmayer.

Raios-X de tais explosões também podem ser capturados pelo NICER, embora ainda não tenha sido visto a partir de J17062.

A estrela doadora anã branca é uma “leve”, apenas cerca de 1,5% da massa do nosso Sol. O pulsar é muito mais pesado, em torno de 1,4 massa solar.

Você também deve apreciar: