• O CERN anunciou uma descoberta excepcional que foi feita pelo LHCb, que revelou cinco novos estados de uma só vez.
  • A equipe observa que essa revelação melhora nossa compreensão da teoria quântica em geral e, mais notavelmente, nos dá novas pistas sobre os primeiros momentos do nosso universo.

UMA DESCOBERTA ÚNICA

O Large Hadron Collider (LHC), a mais recente adição ao complexo acelerador do CERN, é o acelerador de partículas mais poderoso já construído. Possui um anel de 27 quilômetros (16 milhas) feito de ímãs supercondutores que aceleram estruturas construídas para aumentar a energia das partículas na câmara. No acelerador, dois feixes de partículas de alta energia são forçados a colidir de direções opostas com velocidades próximas à velocidade da luz.

As densidades de energia que são criadas quando estas colisões ocorrem causa a matéria ordinária derreter em suas partes constituintes – quarks e gluons. Isso nos permite questionar sobre os constituintes básicos da matéria – as partículas fundamentais do Modelo Padrão.

É um projeto de proporções absurdas e incomparáveis.

Mais de 10.000 cientistas e engenheiros estão atualmente trabalhando juntos para nos ajudar a aprender sobre as propriedades fundamentais da física usando o LHC. Até à data, estes homens e mulheres trouxeram algumas descobertas impressionantes. A equipe do LHC é responsável pela descoberta do Boson de Higgs , potencialmente refutando a existência do paranormal , e descobrindo uma série de novas partículas .

E hoje, um artigo provou que essas descobertas não param por ai.

A colaboração do Large Hadron Collider (LHCb) acaba de anunciar a descoberta de um novo sistema de cinco partículas em uma única análise . Descobrir um novo estado é uma façanha em si – mas descobrir cinco novos estados de uma só vez é excepcional. Especialmente porque há um nível esmagador de significância estatística – ou seja, isso não é apenas um acaso.

View image on Twitter

A EXCITAÇÃO ABUNDANTE

Cada uma das cinco partículas foram encontradas como estados excitados de Omega-c-zero, uma partícula com três quarks. Esses estados de partículas são denominados, de acordo com a convenção padrão, Ωc (3000) 0 , Ωc (3050) 0 , Ωc (3066) 0 , Ωc (3090) 0 e Ωc (3119) 0

Agora, os pesquisadores precisam determinar os números quânticos dessas novas partículas e seu significado teórico. Tudo isto contribuirá para a nossa compreensão da correlação entre os quarks e os estados multi-quark, o que aumentará a maneira como entendemos nosso universo e a teoria quântica em geral.

Em última análise, o CERN chamou isso de “um viveiro de novos e notáveis ​​resultados físicos”. E é apenas o começo. Mais experiências e resultados estão a caminho.

É por isso que a importância das colaborações internacionais não pode ser exagerada. O LHC é a maior colaboração científica internacional na história (cientistas de mais de 85 países estão envolvidos no LHC e suas experiências no laboratório europeu CERN). Como tal, talvez não seja nenhuma surpresa que ele está levando a uma nova era na física e abrindo novas portas em nossa compreensão do universo, de fato, ele poderia até provar a existência de dimensões superiores .

Nos próximos meses e anos, o LHC usará sua incrível quantidade de energia para abrir o “setor escuro da física”, revelando partículas atualmente desconhecidas e ajudando a resolver alguns de nossos maiores mistérios cósmicos (como matéria escura, dimensões paralelas e o que aconteceu nos primeiros momentos do Big Bang). Com novas atualizações chegando ao LHC, a equipe promete ainda mais impressionantes descobertas na área da física.

Fonte: https://home.cern/about/updates