O que aconteceria se a Lua estivesse mais perto da Terra?
loading...

O que aconteceria se a Lua estivesse mais perto da Terra?

Você já imaginou o que poderia acontecer se a Lua se aproximasse ainda mais do nosso planeta?

Provavelmente você já leu alguma matéria dizendo que graças a Lua, o nosso planeta tem estabilidade, as conhecidas mudanças de maré, entre outros benefícios importantíssimos para o sustento da vida na Terra. Mas você já se perguntou o que aconteceria com o nosso planeta se o nosso satélite natural, a Lua, se aproximasse abruptamente de nós?

 


Primeiramente, ela ganharia um destaque ainda maior no céu. As noites seriam mais claras e portanto, os hábitos dos animais também sofreriam consequências. Talvez, muitos mamíferos caçadores (como os leões e as onças) passariam fome, já que eles dependem da ausência de luz pra garantir uma boa caçada, como mostra uma matéria do site Curto e Curioso (clique aqui para acessar). Mas além disso, teríamos outros efeitos ainda mais evidentes…

Suponhamos que a Lua tá chegando perto – e daí?

A rotação da Terra em torno de seu eixo mantém toda a água do nosso planeta mais ou menos equilibrada em todos os lados, através do efeito conhecido como “força centrífuga”.

o que aconteceria se a Lua chegasse mais perto da Terra

Por outro lado, a força gravitacional da Lua interrompe esse equilíbrio, puxando uma protuberância de maré enquanto ela orbita o nosso planeta. Nosso planeta em si, durante sua rotação, também causa uma protuberância de maré no lado oposto da Lua – essas protuberâncias são conhecidas como as marés alta e baixa em nossos oceanos.

O Sol também altera as marés aqui na Terra, mas a Lua desempenha um papel fundamental, como mostra na imagem abaixo:

Marés - maré de sizígia e maré de quadratura
Ilustração mostra o poder gravitacional do Sol e da Lua no efeito das marés aqui na Terra, além de nos mostrar
qual é a diferença entre as marés de quadratura (menores) e as marés de sizígia (maiores).
Créditos: Richard Cardial

Pra entender como isso funciona, basta imaginar uma piscina redonda onde a água esteja circulando em seu interior. Por não ter barreira (já que a piscina é redonda), a água circula quase que livremente, porém, uma grande marola se forma. A Lua funciona como uma pá dentro dessa piscina, que faz com que parte da água se acumule em uma determinada região, criando uma marola, produzida pela água que está sendo barrada pela pá.

Se a Lua chegasse mais perto da Terra, ela aumentaria a interação gravitacional com o nosso planeta, ou seja, o volume das marés aumentaria, assim como a marola de uma piscina se tornaria maior se a pá do nosso exemplo acima fosse maior.

Com isso, se a Lua estivesse mais próxima da Terra, as marés baixas seriam mais baixas, e as marés altas seriam ainda mais altas. As regiões litorâneas seriam automaticamente inundadas em determinadas épocas.

Pra exemplificar melhor, se a Lua estivesse 20 vezes mais próxima do nosso planeta, ela exerceria uma força gravitacional aproximadamente 400 vezes maior do que estamos acostumados. As marés seriam tão altas que grandes inundações atingiriam em cheio cidades litorâneas como Santos (SP), Fortaleza (CE), Rio de Janeiro, Londres, Nova York, etc…

Mas essas cidades não ficariam abaixo do nível do mar o tempo todo. Durante as marés baixas, elas ficariam secas, e suas praias ganhariam uma faixa de areia incrivelmente extensa. Seria como se um tsunami atingisse as áreas costeiras todos os dias. Ainda bem que a Lua continua em seu devido lugar…

Você também deve apreciar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *