Relâmpagos causam reações nucleares no céu
loading...

Relâmpagos causam reações nucleares no céu

Os relâmpagos são uma loucura. São raios carregados de eletricidade que estendem do céu ao solo e podem matar pessoas. Além disso, de acordo com uma nova pesquisa, eles também podem produzir reações nucleares.

Os cientistas sabem há muito tempo que os relâmpagos podem produzir radiação de alta energia, como essa que aconteceu em dezembro de 2015, que atingiu uma cidade costeira no Japão com radiação gama. Mas, agora, uma equipe de pesquisadores japoneses anunciou a existência de evidências conclusivas de que esses raios gama causam reações que alteram os átomos, semelhantes aos de um reator nuclear.

No passado, relatamos que os cientistas acreditavam que “os raios gama de alta energia interagem com o nitrogênio na atmosfera, o que produz nêutrons”. No novo estudo, publicado na Nature, uma equipe diz que eles comprovaram que isso realmente acontece.

Os relâmpagos de inverno são comuns na costa do mar do Japão, o que torna esse lugar um local ideal para estuda-los. As medidas do estudo provêm dos impactos de raios em 6 de fevereiro de 2017, os quais deixaram uma grande quantidade de radiação registrada em quatro detectores localizados entre 0,5 e 1,7 quilômetros de distância. Após o impacto, a radiação foi registrada durante quase um minuto e, ao analisar os dados e a energia das partículas que resultaram dos raios, os pesquisadores estão confiantes de que eles observaram de forma conclusiva o resultado dos raios gama criando nêutrons a partir de átomos de nitrogênio.

Isso é ótimo por várias razões. O mais importante é que os átomos, como os de carbono e de nitrogênio, obtêm suas identidades dependendo do número de prótons, mas também podem apresentar uma variedade de sabores dependendo do número de nêutrons. Os resultados desse estudo podem fornecer “um método, até agora desconhecido, para gerar isótopos raros de carbono, nitrogênio e oxigênio de maneira natural na Terra”, de acordo com o estudo.

Um outro pesquisador mostrou estar convencido com os resultados do estudo. As observações são “uma indicação conclusiva da aniquilação elétron-pósitron”, produto desses decaimentos radioativos, que “representa uma evidência inequívoca de que os relâmpagos podem produzir reações fotonucleares”, diz Leonid Babich, pesquisador do centro nuclear federal russo.

Como esperado, há muito trabalho a ser feito para determinar quantos isótopos criam esses raios e o que mais eles podem criar.

Você também deve apreciar:

Caminhada no Baikal congelado, o lago mais profundo e o mais velho na Terra.
Buracos negros supermassivos podem estar matando mais estrelas do que os cientistas imaginavam
A galáxia de Andrômeda vista em diferentes comprimentos de Onda
Esta é a visualização cerebral mais realista já feita.
Energia, freqüência e vibração.
O lagarto-jesus (plumifrons Basiliscus)
5 enigmas incompreensíveis sobre o universo que a ciência não pode explicar
Sonda Cassini realiza último voo rasante em lua de Saturno
O verdadeiro motivo da existência da humanidade foi revelado nessas escrituras de mais de 20 mil ano...
Cientistas finalmente descobriram porque esta imagem incomoda tanta gente
Sonda Curiosity nos enviou curiosa inconsistência direto de Marte
Bola de fogo rasga a noite do Ártico explodindo com um brilho de 100 luas
Mostrar
Hide Buttons